Você verá que a emoção começa agora...
Agora é brincar de viver!
(Guilherme Arantes)





sábado, 17 de novembro de 2012

MADEIRA – A PÉROLA DO ATLÂNTICO

 

O arquiélago da Madeira é constituído por 8 ilhas, das quais apenas 2 são habitadas, Madeira e Porto Santo, restam então mais 2 grupos de ilhas, as Desertas que são 3 e as Selvagens que são mais 3, todas desabitadas.

DSC03678

Na foto abaixo está a Ponta de São Lourenço, que fica no lado oriental da ilha, as formações rochosas aí existentes são esculpidas pela força do mar, que deste lado, está livre da proteção da ilha e formam uma linda paisagem… apesar de assutadora, afinal podemos sentir a força da natureza a soprar forte até zumbir em nossos ouvidos e nos fazer perder o equilíbrio, tamanha a sua intensidade… bem diferente da paisagem suave da costa sul da ilha.

DSC03673

Desse ponto ainda podemos avistar a costa norte e sul da Madeira e ainda a ilha de Porto Santo.

DSC03671

A Madeira, a única das ilhas que estivemos, tem relevo bastante acidentado, repletas de vales e picos, sendo um dos seus pontos mais altos o Pico do Areeiro (1818m)… estivemos lá, mas não coseguimos ver nada devido às nuvens terem tomado conta da paisagem.

Por conta desse relevo acidentado, a ilha é tomada por curvas e mais curvas e também por muitos, mas muitos túneis mesmo, um investimento gigante na Madeira, que possui auto estradas, vias rápidas, ótima pavimentação… um espetáculo! E eu que ficava de boca aberta sempre ao descer a nossa Serra do Mar pela Rodovia dos Imigrantes…e pensar naquela obra gigantesca, vários túneis iluminados e bem estruturados, que sem dúvida constitui uma grande obra, mas aqui o investimento foi ainda maior e se levarmos em conta que é uma ilha… caramba!

DSC03689

A Marina Quinta do Lorde, fica em Caniçal, é Caniçal… mas não é o Fundeiro… rsrsrsrs, e estávamos a 30 km de Funchal, por isso alugamos um carro por 3 dias para podermos dar um rolê na ilha.

DSC03690

Aqui está a Marina de Funchal, sempre abarrotada de embarcações, fica bem em frente ao porto onde param os cruzeiros e descarregam milhares de turistas todas os dias.

DSC03703

Lá de cima, avistamos uma pintura de um veleiro brasileiro estampada no muro da marina, assim como fizemos na Marina de Horta, no Faial. Com um zoom, conseguimos ver que se tratava do Veleiro Rapunzel, do casal Marçal e Eneida Ceccon que deixaram sua marca ao passar pela Madeira em 2005. Muito legal esse registro, não é?

DSC03698

Paradinha gastronômica, olha só a cara do Fer posando ao lado dessa lagosta.

DSC03704

Hummmm… Amêijoas, tenho que aproveitar enquanto as encontro, porque sei que no Brasil não há… dessa vez não me esqueci de pedir para não colocar os COENTROS e estavam uma delícia!

DSC03706

Esse é o famoso Filé de Espada Negra com Banana, aquele peixe comprido e preto com os olhos grandes esbugalhados… ele tem uma aparência horrível, mas é delicioso, tem a carne bem branquinha, macia e vem acompanhado com legumes cozidos… além de tudo, um prato super saudável. Ah… nesse dia também provamos a famosa espetada de carne em pau de louro… pra nós que temos uma grande oferta de carnes no Brasil, esse prato não nos diz muito… a carne que eles usam é o filet mignon, muito tenra, mas com pouco sabor… nós preferimos mesmo, aquela picanha suculenta com alho… hummm.

DSC03707

Essa é a Sé do Funchal, situada no centro histórico, é um dos poucos edificios que sobreviveram intactos desde os tempos da colonização. Ela foi concluída em 1514, possui fachada simples, mas tem belo portal gótico.

DSC03716

E por falar em colonização, vamos primeiro ao descobrimento. Existe uma teoria de que as ilhas de Porto Santo e Madeira foram descobertas pelos romanos, muito antes dos portugueses… mas, não sou eu que vou colocar esse assunto em discussão… oficialmente foi descoberta primeiro a ilha de Porto Santo em 1418 e em 1419 a Ilha da Madeira, as duas pelos navegantes Tristão Vaz Teixeira e João Gonçalves Zarco. Por volta de 1425, deu-se a colonização dessas ilhas por colonos portugueses, ó pá!… Supostamente por iniciativa do Infante D. Henrique. Viajar também é cultura… ehehehe! Como é gostoso aprender dessa maneira.

DSC03720

Fomos conhecer uma cave de vinho Madeira, o Blandy’s… e acreditem, gostaríamos de fazer a visita guiada, mas pra nossa surpresa nos informaram que não havia guia em “português”… Como?… em território onde a língua oficial é o português, só haviam guias em inglês e alemão… essa foi demais… que vergonha, que tal darmos um pouco mais de valor a nossa língua… não seria nada mal, eu penso.

DSC03745

No entanto, podíamos visitar uma parte da cave, então fomos, depois pesquisamos sobre o vinho na internet… fazer o quê?

DSC03736

Bem, então vamos lá… O solo e o clima únicos da Ilha da Madeira, tal como o processo de produção e o tipo de uva cultivada contribuiram para que o “Vinho Madeira” obtivesse um paladar ímpar e inigualável. Apreciado desde o princípio por reis, príncipes, generais e exploradores, também foi elogiado por Shakespeare em algumas de suas peças. E lógico que eu e o Fer também aprovamos esse líquido dourado apreciado por tantos… nesse caso um do tipo seco envelhecido por 10 anos…hummm delicioso! Uma curiosidade, esse vinho foi escolhido para celebrar a Independência dos EUA, em 1776… viu que importante!

DSC03748

Seguem algumas imagens de Funchal…

DSC03758

DSC03769

DSC03771

Mais um prato típico… Lapas Grelhadas…

DSC03777

Esse prato é típico dos arquipélagos dos Açores e da Madeira, variando apenas o tempero, nos Açores são grelhadas com manteiga, sal, alho e massa de pimentão e na Madeira, com mateiga, sal, limão e pimenta… eu particularmente prefiro a dos Açores, achei que as Lapas da Madeira tem um sabor muito forte de mar… se é que me entendem… mas de qualquer forma temos que provar, não é mesmo? Já o Fer gosta das duas versões, não tem preferência, afinal ele adora tudo que é do mar. Como podem ver é uma concha diferente, exótica e bonita ao mesmo tempo.

DSC03780

Lembram daquele problema no punho do segundo rizo da vela principal? Pronto… resolvido, as duas secretárias, Cátia e Nicole, da Marina Quinta do Lorde, muito prontamente providenciaram uma pessoa pra fazer o reparo, está ai o Tulíbio, fazendo o serviço, que parece ter ficado muito bom. Valeu meninas!

DSC03784

Voltamos a Funchal, agora pra subir até Monte de teleférico…

DSC03787

… e descer de “caixote”, ou melhor de “cesto”, eu sempre errava o nome do meio de transporte… rsrsrs.

DSC03789

A subida é interessante, podemos avistar a cidade de Funchal todinha, um aglomerado de casas a se espremer entre estreitas e pequenas ladeiras que levam até o mar. As casas parecem obedecer um padrão, todas são pintadas em tons que vão do branco, passando pelo bege, camurça, amarelo, salmão e rosa, não notei por exemplo, casas azuis ou verdes e todas com as esquadrias e janelas escuras.

DSC03792

DSC03800

Comemorando a subida e ansiosos pela descida… eheheh!

DSC03807

A descida no cesto de vime, é uma tradição de mais de 300 anos na Ilha da Madeira e que é passado de pai pra filho… os condutores estão sempre vestidos a caráter e com o típico chapéu de palha da ilha. Olha nós dois aí, prontos pra mais uma aventura!

DSC03812

Eles empurram o cesto e vão apoiados de pé atrás, assim descemos 2 km por estreitas ruas sinuosas em uma velocidade considerável… e o freio são os sapatos deles, com as solas gastas… ou seja, pneus carecas. Ai meu Deus!

DSC03816

No meio do caminho eles param para passar sebo debaixo do cesto…

DSC03814

E lá vamos nós! O primo Zé Alfaia, de Lisboa, nos confessou que tem medo de fazer esse passeio… rsrsrsrsrs – Pára com isso Zé, pode fazer que vale a pena, deixa de ser medroso!

DSC03815

Ufa! Terminou… foi demais! Valeu a experiência, mas o pior estava por vir… descer a pé, 3km de ladeira super íngrime até Funchal… eita que as coxinhas pediram arrego! Rsrsrsrs.

DSC03819

No meio do caminho, encontramos uma portinha, um bar muito pequeno, com uma senhorinha simpática no balcão, a D. Maria, que nasceu na Madeira e trabalha nesse lugar há mais de 40 anos… é mole? Tomamos uma cervejinha, aqui marca local é a Coral e continuamos a descer até Funchal… valeu! Acho que perdemos umas calorias pra ganhar outras logo em seguida…

DSC03824

Aqui, outra comida típica da Madeira, o Bolo do Caco, é feito de trigo e depois de fermentar durante 3 dias, são feitas bolachas de aproximadamente 3cm de espessura e um palmo de diâmetro. É colocado para assar da forma tradicional sobre uma pedra de basalto em temperatura escaldante, hoje essa pedra já foi substituída por placas de cimento.

DSC03831

No meio do pão, manteiga com alho… hummm, salivei! Bem, o sabor é muito similar ao pãozinho de alho que acompanham os nossos famosos “churrascos”. Chegam quentinhos à mesa e são sempre servidos como entradas e acompanhamentos. Bom… Bom… Bom!

DSC03830

Em uma das ruas do centro histórico, um beco de arte, um local onde se vende, quadros, artesanato e principalmente obras feitas por artistas locais.

DSC03835

Nas paredes e nas portas da antiga rua, manifestações artísticas dão um charme ao local.

DSC03837

Da Eira do Serrado a 1095m de altura, podemos avistar esse imenso vale onde se encontra a pequena vila de Curral das Freiras, é uma visão de tirar o fôlego e chega a dar vertigem tamanha a altura que estamos… Descobri aqui, que o Fer tem medo de altura… rsrsrsrs.

DSC03849

Olha aí… o Fer aliviado por estarmos saindo do miradouro tão alto… rsrsrsrs.

DSC03857

Outra comidinha típica… Milho Frito, pra nós Polenta Frita, só que aqui é bem branquinha por dentro, deve ser a variedade do milho, mas o sabor é praticamente o mesmo.

DSC03868

Aqui a entrada da Marina Quinta do Lorde.

DSC03881

Faz parte da Marina, um Condomínio de casas muito bonitas que foi lançado em Outubro desse ano, o lugar é um charme.

DSC03885

Ah… olha que legal… esse barco foi transformado em restaurante e está do lado oposto da Marina de Funchal, pertenceu a famosa banda britânica “Beatles”.

DSC03894

Após ter sofrido um acidente próximo as Ilhas Canárias e quase ter virado sucata, foi comprado por um empresário de Funchal que o levou para a Madeira em 1984 e o transformou em Bar e Restaurante. Hoje é frequentado por turistas e fãs da banda, o nome do restaurante é Vagrant.

DSC03895

Mais uma delícia portuguesa, castanhas assadas num carrinho de rua… o Fer adoooora!

DSC03909

Bela vista!

DSC03922

Cabo Girão, situado a Oeste de Funchal é um paredão vertical, com 580m de altura que termina diretamente no mar… aff!… é muuuito alto! É a segunda maior falésia do mundo!

DSC03932

Possui um miradouro de vidro que avança sobre o paredão e isso dá uma certa vertigem… debruçar sobre o corrimão e olhar para baixo é uma verdadeira aventura…ehehehehe! A visão é simplesmente espetacular!

DSC03931

Essa placa diz que “nossos pés estão a exatos 580m acima do nível do mar”… show!

DSC03935

Uma bela visão da Câmara dos Lobos e de Funchal.

DSC03940

Ainda fomos presenteados com um belo pôr-do-sol.

DSC03959

Lá de cima, olhando para o mar sem saber onde ele termina e começa o céu, me ocorre uma sensação estranha por estar vendo essa imensidão por outra perspectiva… dalí imagino que jamais seria capaz de me aventurar nessa infinidade de água, nesse universo gigante sendo nós, eu, o Fer e o Andante tão pequeninos e insignificantes… parece que o mar pode nos engolir… Meu Deus! Num devaneio, penso – Devem ser loucos esses que atravessam um oceano… rsrsrs. – Quando páro e penso no que estamos fazendo, aí que não organizo minhas idéias mesmo… rsrsrs. É uma loucura e ao mesmo tão possivel! Afinal quando estamos no Andante prestes a partir novamente para o mar… já não me parece tão assustador…

DSC03956

Mais comidinhas…agora os famosos Bolinhos de Bacalhau, aqui chamados de Pastéis de Bacalhau. Bem sempre que temos a oportunidade (e foram muitas), provamos esse petisco pra comparar com o nosso, do Bar do Português, no entanto, o que tenho a dizer é que fazemos o “autêntico” Pastel de Bacalhau, sem por nem tirar nada, são muito ou perfeitamente fiéis a receita portuguesa.

DSC03965

Só uma curiosidade… aqui eles veem acompanhados de arroz e feijão… rsrsrsrs, no mínimo engraçado pra nós.

DSC03966

Bem… ainda faltava o Mercado dos Lavradores pra conhecer… então vamos lá, em nosso último dia.

DSC03968

Famoso por oferecer de tudo um pouco, mas tenho que confessar, com um certo orgulho, aliás um enorme orgulho, o nosso Mercado Municipal de São Paulo… é fantástico! E muuuuuito melhor!

DSC04006

Mesmo assim o Mercado dos Lavradores não perde o seu valor , claro. Construido na década de 30, numa combinação de art deco e modernismo, o mercado oferece aos turistas uma grande variedade de frutas, verduras, legumes, pescados, temperos e artesanato local que brinda seus visitantes com muitos aromas.

DSC03973

Olha que diferente, essa é uma variedade de Couve-Flor.

DSC03974

Pimentas secas, o Fer não resistiu.

DSC03987

Já eu quis experimentar essa fruta exótica, o Ananás-banana, pra nós o Abacaxi-banana… tem sabor das duas frutas misturadas, o doce da banana com a acidez do abacaxi, ela pinica um pouco a língua e tem uma baba igual a jaca… será que dá pra ter uma idéia? Rsrsrsrs…Compramos uma… adorei!

DSC03984

Maracujás… são muitas as variedades, só nesta foto são 6, Maracujá Tomate, Maracujá Roxo, Maracujá Amarelo, maracujá… maracujá… caraca! São muito perfumados, também compramos… rsrs.

DSC03998

A Madeira se assemelha muito ao Brasil nesse aspecto, tem bananas, pitangas, maracujás, milho, batata doce, cana-de-açucar e outros produtos.

DSC03992

Mais comidinhas, Carne de Vinha d’alhos no Bolo do Caco… é uma carne de porco magra, preparada com vinho branco, azeite, alho, louro, cravo da índia, pimenta… vixi, uma delícia!… eita, quero ver fazer dieta! Preciso mesmo é fazer jejum…

DSC04012

E não poderia faltar, é claro, o Bolo de Mel de Cana da Madeira, de acordo com a tradição ele deve ser preparado no dia 8 de Dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição, dando início aos preparativos para o Natal, também é tradição comer os últimos bolos da fornada do ano anterior, já que ele se conserva por um ano. É claro, que hoje esse bolo é feito em grande escala, mas algumas famílias ainda conservam a tradição de prepará-los apenas uma vez por ano. Esse bolo é muito gostoso, tem o sabor típico do mel e ainda sentimos os aromas, de erva-doce, cravo da índia e canela, sua massa é escura, pesada e também é bem calóóóórico… aff, não posso nem olhar que já engordo. Credo… rsrsrs.

DSC04265

Na saída do mercado nos deparamos com essa cena que achei interessante… rsrsrs. Os dois embaixo jogando baralho e o restante em cima assistindo e torcendo… dá-lhe aposentadoria… rsrsrs.

DSC04014

Olha só a pista do aeroporto da Madeira, é suspensa, a auto-estrada passa por baixo…

DSC04018

E ainda tem embaixo de toda essa estrutura, um Clube Nautico, com vagas para barcos no seco… mais um investimento gigante.

DSC04021

Pronta para ir à lavanderia, mas para lavar tapetinhos, panos de chão, panos de cozinha… porque nossas roupas, lençois, toalhas de banho foram lavadas antes da nossa partida de Lisboa, na “Lavanderia Alfaia”, comandada pela Sandra que deixou cada peça muito cheirosa e passada, que luxo! Só lá mesmo!

DSC04023

Tudo pra dentro da máquina…

DSC04030

Eu peguei uma bela dor de ouvido, depois de visitar esses picos onde o vento era muito forte e frio, aí só andava de gorro, mesmo com calor… fiquei a tomar remédio e nem pude tomar uma cervejinha no último dia. Putz… dor de ouvido é terrivel, coitada da minha prima Fabiana, que vive com essas dores e a gente tira o sarro dela… rsrsrs.

DSC04035

Vamos deixar a Marina Quinta do Lorde, com a satisfação de termos sido muito bem recebidos.

DSC04036

A marina é encantadora, as meninas (secretárias) nos fazem sentir em casa e prestam um serviço pra lá de bom, com muita simpatia e sorriso.

DSC04039

Fica a nossa dica para os amigos que navegam… quando passarem pela Madeira de barco já sabem onde ficar. Na foto abaixo, a secretária Nicole em nossa despedida da marina.

DSC04054

Agora entendo porque a Ilha da Madeira é considerada a pérola do Atlântico, é realmente uma jóia, tem muito a oferecer e claro que não tivemos tempo de ver e provar de todas as suas atrações, mas ficamos com aquele gostinho de quero mais e a vontade de retornar.

Abaixo, segue o video da nossa descida de cesto… rsrsrs.

5 comentários:

Eduardo disse...

Olá Andantes,
venho agradecer por "compartilhar" essa aventura através do blog, gostei muito dessa postagem, afinal, fazia tempo que não publicavam algo detalhado..rsrsrsrs.
Felicidades e que bons ventos levem vocês a outros portos/marinas.
Melhoras para Paula e abraço para Fernando.
Eduardo Aroldo.

LILO disse...

Paulinha e Fernando

Realmente muito legal esse local, o que mais curti foram os vários tipos de comidas e frutas... O passeio naquele caixote também é uma aração a parte !!!!!!

Que delicia !!!!!!

Um grande abraço


Lilo

Murilo Carani Coube disse...

Ola Andantes,

Muito bacana Madeira! Esse passeio no caixote deve ser o maximo!
E as comidas entao, hummm
Vi que ja passaram por Canarias tambem. Que de tudo certo na travessia de volta. Estamos ansiosos!

Grande beijo!

M.

Anônimo disse...

Muito bons seus relatos, mas não passe vontade de comer amêijoas no Brasil. É claro que temos amêijoas. No litoral do Espírito Santo a melhor que comi foi em Manguinhos, município da Serra, região metropolitana de Vitória. Vá ao bar Enseada de Manguinhos e saboreie-as. Lá também são conhecidas como "lambretas".

Ms.Nick Nameny disse...

Não passe vontade de comer amêijoas no Brasil. No litoral do Espírito Santo a melhor que comi foi em Manguinhos, município da Serra, região metropolitana de Vitória. Vá ao bar Enseada de Manguinhos e saboreie-as. Lá também são conhecidas como "lambretas".